PAGINA INICIAL
ÚLTIMOS ARTIGOS
PODE DESCARREGAR
TODOS OS ARTIGOS AQUI
PDF download icon.jpg

Abordagem morfométrica via UAV para a gestão de áreas costeiras em relevo cársico (estudo de caso no Algarve, Portugal)

Área científica: Gestão Costeira, Geologia, Paisagens Cársicas

 

Resumo: As paisagens cársicas apresentam notável diversidade morfológica e levantam questões de gestão desafiadoras. Compreender os processos cársicos é particularmente relevante para a gestão dos litorais rochosos densamente povoados. Devido à sua perigosidade e inacessibilidade frequente, os estudos morfométricos detalhados de algares são limitados. Neste trabalho, demonstramos a utilidade de utilizar um veículo aéreo não tripulado (VANT também conhecido como drone) para obter uma análise rápida e precisa de dados espaciais em áreas vastas, incluindo algares que de outra forma são inacessíveis. Os dados de VANT foram pós-processados ​​utilizando ferramentas de informação geográfica (SIG) para caracterizar tanto os algares individualmente, como os seus padrões de distribuição espacial. O estudo foi realizado no litoral rochoso do Algarve, entre a Ponta da Piedade e a Praia do Castelo e permitiu concluir que a distribuição espacial dos algares é controlada principalmente pelo padrão de fraturas na rocha hospedeira. Além disso, as propriedades geométricas dos algares e as diferenças entre os locais estudados, são controladas por processos de meteorização. Esta investigação, enfatizou o risco geomorfológico associado às paisagens cársicas costeiras, o que reforça a necessidade de incluir o conhecimento sobre essas formas de relevo em planos de gestão costeira.

Autores: Sónia Oliveira, Delminda Moura e Tomasz Boski

Revisão feita por: Beatriz Silva, Carolina António, David Domingos, Fernanda Ponciano, Joana Saraiva, Joana Rodrigues,  João Miguel. Joaquim Nunes, José Bernardo, Laura Casimiro, Mara Palma, Cecília Farinho, Marta Filipe, Melissa Afonso, Miguel Costa, Nicolas Campos, Nicole Gonçalves, Raquel Nunes, Susana Revés, Tiago Aníbal e Rodrigo Alho, com a coordenação do Professor Rui Carlos da Rosa Chaves na Escola Secundária José Belchior Viegas, São Brás de Alportel.

Os efeitos da cordicepina na doença de Machado-Joseph: uma terapia possível?

Área científica: Ciências da Vida, Biomedicina, Neurociências

 

Resumo: A doença de Machado-Joseph (DMJ) é uma doença neurodegenerativa causada pela repetição anormal de três nucleótidos, citosina-adenina-guanina (CAG), na região codificante do gene ATXN3, responsável pela doença. Atualmente, não existem terapias com capacidade de atrasar ou parar a progressão da doença. Recentemente demonstrámos que a redução da expressão da ataxina-3 mutante conduz à mitigação do fenótipo relacionado com a DMJ. Neste estudo, investigamos um inibidor farmacológico da tradução, a cordicepina. Verificámos que o tratamento com cordicepina reduz significativamente (i) os níveis de ataxina-3 mutante, (ii) as anomalias neuropatológicas, e (iii) as deficiências motoras, em modelos pré-clinicos da doença. A nossa hipótese propõe que o efeito da cordicepina promova uma redução nos níveis globais de tradução e uma ativação significativa da autofagia. Em suma, este estudo sugere que a cordicepina poderá constituir uma abordagem terapêutica eficiente e segura para a DMJ.

Autores: Rebekah Koppenol, André Conceição, Adriana Marcelo e Clévio Nóbrega

Revisão feita por: Cíntia Dourado, Maria Freitas e Sofia Carvalho, com a coordenação do Professor Hugo Oliveira no Colégio Internacional de Vilamoura.

Relação entre fatores de stresse económico e indicadores de saúde mental: O papel do suporte social

Área científica: Psicologia

 

Resumo: A crise financeira de 2008 afetou vários países em todo o Mundo, especialmente os do sul da Europa, como Portugal. Com o agravar da crise observou-se um aumento dos problemas de saúde mental. Esta investigação explorou o papel do suporte social na relação entre os fatores de stresse económico e os problemas de saúde mental, perspetivando que quando uma pessoa recebe suporte social de qualidade, dos seus familiares, amigos ou colegas de trabalho, a intensidade dos fatores de stresse económico nos problemas de saúde mental diminui. Na globalidade esta premissa foi confirmada, tendo-se avançado com um conjunto de sugestões para promover o suporte social junto da população.

Autor: João Viseu, Saúl Neves de Jesus e Patrícia Pinto

Revisão feita por: Ana Pereira, Cíntia Sebastião e Ugo Veiga Laizé, com a coordenação da Professora Professora Cristina Reis Cantinho na Escola Secundária Tomás Cabreira, Faro.

O romanceiro ibérico no Brasil: um património da língua portuguesa em ambiente digital

Área científica: Artes e Comunicação, História e Patrimónios

 

Resumo: Na esteira do trabalho já desenvolvido pela equipa da plataforma Romanceiro.pt, de edição e estudo do romanceiro de tradição oral, deu-se recentemente início à compilação, organização e apresentação de uma proposta de infraestrutura digital que visa acolher e difundir os materiais do romanceiro de matriz ibérica no Brasil. Estas tarefas, que procuram promover a patrimonialização deste bem cultural imaterial, marcam os primeiros passos para a constituição do “Arquivo do Romanceiro do Brasil”. Para isto, servimo-nos de ferramentas transdisciplinares do campo emergente das Humanidades Digitais. Por sua vez, esta ação persegue um objetivo maior, que é o da edificação do “Arquivo do Romanceiro em Língua Portuguesa”, um projeto em desenvolvimento atualmente em rede. Apresentamos, aqui o enquadramento de partida deste projeto, bem como algumas das conclusões parciais já alcançadas, ao mesmo tempo que descrevemos sucintamente as atividades desenvolvidas.

Autores: Bruno de Carvalho Belmonte e Sandra Boto

Revisão feita por: Margarida Portas, com a coordenação da Professora Cristina Reis Cantinho na Escola Secundária Tomás Cabreira, em Faro.

A expressão dos transcritos do gene DUSP4 como potencial biomarcador no cancro colorretal

Área científica: Ciências Biomédicas, Biologia molecular

Resumo: O cancro colorretal (CCR), com desenvolvimento a nível do cólon e do reto, é um dos tipos de cancro mais frequentes e uma das principais causas de morte por cancro em todo o mundo. A proteína DUSP4, proteína fosfatase 4 de especificidade dupla é uma enzima que, em humanos, é codificada pelo gene DUSP4 e foi recentemente associada ao CCR. Vários estudos mostraram que o gene DUSP4 é mais expresso no tecido tumoral do que no tecido normal. No entanto, os dados de expressão não consideram a expressão individual de cada transcrito1. Neste estudo mostrámos que todos os transcritos analisados do DUSP4 (1, 2 e X1) estavam sobre-expressos nos tecidos colorretais tumorais em comparação com os tecidos normais. E, mais importante, esta sobre-expressão é imediatamente evidente nas fases iniciais da doença. O transcrito X1 foi o mais sobre-expresso e também o que apresentou mais associações com parâmetros clinico-patológicos (sinais e sintomas provocados por uma doença) do CCR. Em conclusão, os transcritos do DUSP4 têm potencial para servir como biomarcadores no diagnóstico do CCR, particularmente o transcrito X1.

Autores: Tatiana Varela, Vincent Laizé, Natércia Conceição e M. Leonor Cancela

Revisão feita por: Estudantes da Escola Secundária de Loulé. Participantes da Turma 11.ºB  Afonso Guerreiro, Ana Carolina Salgadinho, Ana Raquel Gomes, Arianni Sousa, Artur Mendonça, Bruna André, Catarina Rodrigues, Eduardo Costa, Francisco Robalo, Gabriela Borozan, Inês Vingado, Joana Marques, João Guerreiro, Márcia Horta, Margarida Cavaco, Maria Viegas, Mariana Duarte, Pedro Ferreira, Rodrigo Faísca, Rosana Pontes, Sofia Lopes e Tiago Policarpo, com a coordenação da Professora Susana Faustino.

 

Participantes da Turma 11.ºD  Alice Cristóvão, Bárbara Costa, Beatriz Felício, Beatriz Lino, Beatriz Lourenço, Bruno Almeida, Carolina Barros, Emanuel Parreira, Enzo Pereira, Érica Lourenço, Fábio Santos, Filipe Marques, Gabriel Tenera, Gisela Luz, João Blanco, Lara Loureiro, Mª Isabela Rodrigues, Mariana Santos, Marko Jankovic, Matilde Nogueira, Rodrigo Martins, Sérgio Aniceto, Sofia Saraiva e Victória Alcaide, com a coordenação da Professora Carla Rêgo.

 

Participantes da Turma 11.ºE  Alexandru Pîrlog, Ariana Gomes, Beatriz Baptista, Carolina Felício, Carolina Morgado, Carolina Carrusca, Cristina Moroz, Daniela Farrajota, Dinis Antypenko, Diogo Oliveira, Francisco Guerreiro, Íris Sousa, Íris Fonseca, Iúri Borisov, Jenny Jensen, Leonor Afonso, Lia Teixeira, Lucas Custódio, Manuel Borges, Matilde Guerreiro, Raquel Saraiva, Rui Henriques e Valeria Shevchuk, com a coordenação da Professora Carla Rêgo.

Plásticos pequeninos, grandes problemas! Pode a celulose ajudar na purificação da água?

Área científica: Engenharia Química e Ambiental

Resumo: Os plásticos são amplamente utilizados devido às suas excelentes propriedades, baixo custo e versatilidade, levando a um crescimento exponencial do seu consumo nas últimas décadas.  No entanto, a maioria dos plásticos não é biodegradável, podendo estes persistir por centenas de anos. Só uma pequena percentagem é reciclada, sendo o restante despejado em aterros sanitários, incinerado ou simplesmente não recolhido. As ETARs apenas conseguem minimizar o problema capturando partículas de tamanho maior, enquanto as partículas menores (microplásticos) que não são retidas nos tanques de oxidação ou nas lamas são libertados indiscriminadamente para o meio ambiente podendo causar sérios problemas nos organismos aquáticos. Neste trabalho, é procurada uma abordagem mais ecológica para remoção dos microplasticos baseada no desenvolvimento de novos agentes floculantes à base de lignocelulose.  Os resultados preliminares evidenciam o enorme potencial dos novos agentes floculantes para formar agregados de microplasticos de tamanho suficiente para posterior remoção por filtração.

Autores: Solange Magalhães, Luís Alves, Bruno Medronho, Anabela Romano e Maria da Graça Rasteiro

Revisão feita por: André Dias, Daniel Machado, Joana Costa, Matilde Brito, Ricardo Rosa, Rodrigo Guerreiro e Tomás Guerreiro, com a orientação da Professora Sónia Figueiredo na Escola Secundária José Belchior Viegas, em São Brás de Alportel.

Dinamismo e interatividade na análise do conceito de elasticidade da oferta

Área científica: Ciências Socioeconómicas

 

Resumo: O uso de software educacional tem sido reconhecido como um método bastante enriquecedor na promoção da motivação dos alunos aquando da aprendizagem e compreensão de novos conceitos económicos. A atual tecnologia digital permite que os estudantes analisem uma grande variedade de gráficos de forma dinâmica e interativa. Complementado, assim, os resultados teóricos e os tradicionais cálculos de lápis e papel. O sistema de álgebra computacional Mathematica é um software que permite a interação gráfica e analítica em tempo real. O principal objetivo deste artigo é a apresentação de uma nova ferramenta dinâmica e interativa, a PES(Linear)-Tool, concebida para ser utilizada na introdução do conceito de elasticidade. A sua disponibilização no formato CDF permite que seja utilizada, sem qualquer custo, mesmo sem uma licença ativa do Wolfram Mathematica. A PES(Linear)-Tool foi criada de forma a ser explorada como uma ferramenta de aprendizagem ativa para alunos da área das ciências socioeconómicas.

Autores: Jorge M. Andraz, Ana C. Conceição e Renato Ponte

Revisão feita por: Pedro Leote, com a coordenação da Professora Filomena Conceição, na Escola Secundária Tomás Cabreira, Faro. 

Efeito de dietas enriquecidas com EDTA na alergenicidade e qualidade do peixe de aquacultura

Área científica: Ciências marinhas, Ciências biológicas, Aquacultura

Resumo: O peixe é uma das principais causas de alergias alimentares em todo o mundo. Estas reações alérgicas são provocadas por uma proteína do músculo, capaz de se ligar a iões cálcio, chamada β-parvalbumina. Esta proteína tem reduzida capacidade de se ligar a anticorpos Imunoglobulina E (IgE) na ausência de iões cálcio. Este trabalho propõe reduzir a alergenicidade de dourada usando dietas enriquecidas com um quelante de cálcio. Foram testadas três dietas, com diferentes concentrações de ácido etilenodiaminotetraacético (EDTA), e analisados posteriormente os seus efeitos no músculo e na reatividade dos IgE. A análise proteómica revelou diferenças significativas na abundância relativa de uma proteína implicada na contração muscular. Ensaios de imunoblot realizados com soro de pacientes alérgicos a peixe indicaram uma redução de 50% na reatividade de IgE na presença de EDTA. Estes resultados preliminares fornecem a base para o desenvolvimento de trabalhos futuros que visam alterar a alergenicidade dos peixes e assim melhorar a segurança do peixe de aquacultura.

Autores: Denise Schrama, Cláudia Raposo de Magalhães e Pedro M. Rodrigues

Revisão feita por: Igor Silva, Duarte Pereira e Daniel Ramos, coordenados pelo Professora Cristina Reis Cantinho, na Escola Secundária Tomás Cabreira, em Faro.

 

Sarita Camacho

Gabinete de Comunicação e Protocolo da Universidade do Algarve

https://www.youtube.com/watch?v=8oA7udtQ9JU

https://www.behance.net/SaritaCamacho

EDITOR

José Bragança

Professor Associado com Agregação em Ciências Biomédicas na Universidade do Algarve, Investigador e membro da Direção do Centro em Investigação BioMédica (CBMR, Centre for BioMedical Research), membro da Comissão Executiva do Centro Académico do Algarve (ABC, Algarve Biomedical Centre), e Diretor do Mestrado em Ciências Biomédicas - Mecanismos de Doenças da Universidade do Algarve. É também Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa de Células Estaminais e Terapia Celular.

EDITORES ASSOCIADOS

Álvaro Tavares

Professor Auxiliar na Universidade do Algarve, Investigador  do Centro em Investigação BioMédica (CBMR, Centre for BioMedical Research), e Diretor do Mestrado em Oncobiologia e Mecanismos Moleculares do Cancro da Universidade do Algarve.

Clévio Nóbrega

Professor Auxiliar na Universidade do Algarve, Diretor do Centro em Investigação BioMédica (CBMR, Centre for BioMedical Research), e membro da Direção da Licenciatura em Ciências Biomédicas da Universidade do Algarve.

COMISSÃO EDITORIAL

Saúl Neves de Jesus

Vice-Reitor da Universidade do Algarve


Maria Alexandra Anica Teodósio

Vice-Reitora da Universidade do Algarve
 

Manuel Célio de Jesus da Conceição

Professor Associado da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve


Salomé D’horta

Coordenadora Técnica da Biblioteca da Universidade do Algarve


André Botelheiro

Coordenador do Gabinete de Comunicação e Protocolo da Universidade do Algarve


Cristina Veiga Pires

Diretora executiva do Centro Ciência Viva do Algarve


Laura Alves

Assessora de Imprensa da Universidade do Algarve

ILUSTRAÇÃO E DESIGN EDITORIAL
INFORMAÇÃO SOBRE O UALGORITMO

ISSN: 2184-6170


Depósito legal: 462212/19


Para citar esta publicação: nome do(s) autor(es) (2019). Título do artigo. Ualgoritmo 1: pp. intervalo de páginas.


Acessível online em:

 

https://ualgoritmo.wixsite.com/website

 

http://hdl.handle.net/10400.1/12772

https://view.joomag.com/ualgoritmo-2-julho-2020/0881700001595970832

OS NOSSOS PARCEIROS
Pinheira e Rosa logo.jpg
EScola Tavira.jpg
Tomas cabreira.jpg
agrupamento-de-escolas-josc3a9-belchior-
EScola_Loulé.jpg
aejdfaro_logo.png
EScola Vilamoura.jpg
932749149.jpg
nome e logo-18 (1).png

UALGORITMO

Universidade do Algarve

8005-139 Faro, Portugal

ualg.jpg